Sunset Riders: A Primeira Grande Aventura no Velho Oeste

Ok… No ano passado, a galera gamer ficou fascinada com Red Dead Redemption 2. Sim, a aventura é incrível, a história é envolvente e o visual, sem dúvidas, é impressionante. No entanto, houve um tempo em que os consoles não eram tão poderosos e, mesmo assim, uma aventura no velho oeste marcou a vida de muitas pessoas: Sunset Riders!

É verdade ou não é? Eu sei que sim! Sei disso, pois me lembro das muitas horas que dediquei em minhas tentativas para eliminar todos os grandes desafios desse game. E também sei que, assim como eu, você e muitos outros gamers, também olham para o passado e lembram de Sunset Riders com carinho. Sendo assim, este post será um grande flashback daquele tempo em que 4 pistoleiros (2 na versão para Mega Drive) fizeram história. Vamos relembrar?

Sunset Riders: as versões…

Bem, Sunset Riders foi lançado em 1991, para os arcades. O jogo, que foi desenvolvido pela Konami, fez tanto sucesso nos arcades que, dois anos depois, foram lançadas duas versões para os consoles mais famosos da época. Assim, em 1993, o game chegou para o Mega Drive e para o Super Nintendo.

Apesar da alegria de poder jogar o game em casa, os jogadores (os que haviam experimentado a aventura nos arcades) logo perceberam algumas diferenças. No meu caso, o parâmetro é a versão de SNES, pois foi a única que experimentei (até a exaustão).

No entanto, a versão para arcades foi a melhor em todos os aspectos. Isto é, os gráficos e a trilha sonora eram melhores e existiam máquinas que permitiam que até 4 jogadores embarcassem na aventura ao mesmo tempo. No SNES, os quatro personagens estavam disponíveis, mas só era possível jogar “para dois”. Nem mesmo o multitap ajudava nesse sentido.

Além disso, a versão do SNES era muito próxima da original, tendo todas as fases e inimigos. Todavia, certas censuras aconteceram e alguns nomes e aspectos tiveram que ser modificados.

Curiosamente, embora muitos tenham experimentado apenas a versão do Mega Drive (e amado), a aventura, no console da SEGA, era a mais limitada. Os gráficos eram bem inferiores, o jogo só tinha 4 fases e algumas fases bônus, muitos inimigos foram retirados do jogo e pior (ou menos melhor), só tínhamos dois personagens à disposição: Billy e Cormano.

Sunset Riders: a síntese!

Apesar de ter tido três versões, Sunset Riders sempre manteve a sua premissa intacta. E foi por esse motivo que o jogo encantou a todos os jogadores da época, até mesmo os players do Mega Drive.

De modo resumido, Sunset Riders foi a Primeira Grande Aventura no Velho Oeste a marcar presença na história dos games. E claro, as histórias de faroeste sempre foram muito interessantes e emocionantes. Com isso, ficam óbvios os motivos que levaram o game a fazer tanto sucesso.

A aventura gira em torno de quatro caçadores de recompensa que viajam pelo velho oeste dos Estados Unidos com o intuito de caçar terríveis bandidos e, claro, conquistar as grandes recompensas oferecidas. Sinceramente, esse foi o grande charme do jogo. Afinal, como é possível esquecer aquela voz que surgia no início de cada fase, dizendo: “Wanted dead or alive (Procurado Vivo ou Morto)”? Essa frase e o cartaz do bandido sendo mostrado eram detalhes que deixavam todos animados para os tiroteios que viriam na sequência.

O jogo tinha apenas oito fases (no Mega Drive eram 4, fora os bônus), mas cada uma tinha um cenário e um desafio diferenciado. Em alguns momentos, para deixar a ambientação perfeita, os heróis apareciam montados em seus cavalos, deixando tudo ainda mais intenso (e complicado).

Quem eram os Sunset Riders… e seus inimigos?

Como eu havia dito, Sunset Riders conta a história de quatro caçadores de recompensas. O primeiro deles, Steve, era o estereótipo do mocinho do velho oeste, ou seja, loiro, olhos azuis, roupa chamativa, cavalo branco e um revólver. Billy era semelhante a Steve, mas trajava roupas azuis e seu corcel era preto.

Para completar o time, tínhamos Bob, outro típico cowboy, com o chapéu caindo nas costas e uma espingarda nas mãos. Seu cavalo tinha uma cor de pêssego e seus cabelos eram longos. Por fim, tínhamos Cormano, o mexicano. Esse foi o personagem mais icônico e, provavelmente, o favorito dos jogadores (o meu era o Billy). Com suas duas espingardas e seu cavalo vermelho, esse personagem ainda tinha uma história com um dos inimigos, o mexicano El Greco.

Falando nos inimigos, a história começa em um nível relativamente fácil, com uma luta contra um fazendeiro (e banqueiro corrupto) chamado Simon Greedwell. Na segunda fase (com os cavalos), a luta era contra Hawkeye Hank Hatfield, um pistoleiro extremamente rápido.

Na sequência tínhamos Dark Horse (um homem bruto, com um cavalo blindado) e depois, The Smith Bros., os irmãos gêmeos que “tocavam o terror” em um Saloon. A partir desse ponto, o game começava a se tornar realmente desafiador, pois tínhamos El Greco, o rival do Cormano, o Chief Scalpem, um índio “duro na queda” e Paco Loco, um militar completamente pirado, com uma metralhadora nas mãos. No último desafio, nos deparávamos com Sir Richard Rose, um inglês requintado, mas mortal.

E o gameplay em Sunset Riders?

Guardando o melhor para o final, posso falar agora sobre o gameplay de Sunset Riders. Pois é! Apesar de toda a proposta do jogo ser incrível, com belos personagens e uma ambientação muito interessante, o gameplay era a “cereja do bolo”.

O jogo seguia um estilo plataforma 2D, como a maioria dos games da época, mas não deixava de ser um shooter. Em certos momentos, haviam tantos projéteis na tela que era impossível saber se deveríamos nos abaixar ou pular. Apesar disso, alguns daqueles players mais “talentosos” conseguiam verificar alguns padrões e superavam as fases com certa facilidade.

Em relação às armas, Billy e Steve utilizavam revólveres, o que deixava seus tiros mais rápidos e certeiros. Bob e Cormano, por sua vez, utilizavam espingardas, dando tiros lentos, mas que cobriam uma área bem grande. Como a versão para Mega Drive tinha apenas dois personagens (Billy e Cormano), o gameplay não sofria alterações já que as duas experiências distintas podiam ser aproveitadas.

No mais, o jogo reunia uma série de saltos, inimigos surgindo de todos os cantos, projéteis passando para lá e para cá, dinamite, explosões. Enfim, um caos que apenas o velho oeste poderia proporcionar. Ah… e existiam alguns pequenos mini games que mudavam o jogo para uma perspectiva de primeira pessoa, no melhor estilo “tiro ao alvo”.

Sunset Riders: que grande aventura!

Sunset Riders é um daqueles títulos que fazem os jogadores mais veteranos se orgulharem de terem participado dos primeiros anos da vida dos games. Essa aventura foi um marco nas memórias de muita gente (inclusive na minha). Obviamente, as comparações com Red Dead Redemption 2 são impossíveis e fazê-las não seria nada justo. Contudo, o fato é que Sunset Riders foi a Primeira Grande Aventura no Velho Oeste e seu lugar na história ficará reservado para sempre.

Para ficar perfeito, não deixe de compartilhar o post e comentar sobre a suas lembranças. Afinal, relembrar é uma ação muito mais prazerosa quando ela é feita em grupo. Eu deixei aqui as minhas memórias sobre Sunset Riders, agora quero saber sobre as suas… Até a próxima!


some text