SoulCalibur: Uma Espada, Mil Histórias Épicas!

O mundo dos games é recheado de excelentes jogos de luta. Por esse motivo, os fãs do gênero agradecem. Obviamente, nesse segmento existem algumas grandes lendas. E, sem dúvidas, esse é o caso da franquia SoulCalibur. Afinal, poucos games conseguiram combinar, com tanta maestria, o manuseio de armas em combinação com golpes brutais, cenários em 3D e uma história extremamente arrebatadora.

Sendo assim, agora que o sexto título da franquia principal está prestes a ser lançado, resolvemos relembrar os momentos épicos e as grandes histórias que a série Soul já nos permitiu presenciar. Portanto, prepare-se para embarcar em uma retrospectiva dotada de muita nostalgia e cheia de passagens altamente emocionantes. Vamos começar?

A Série Soul

Por mais que hoje em dia o nome SoulCalibur seja o único que conhecemos, a história dessa franquia teve início com o lendário SoulEdge. Por esse motivo, é importante considerarmos o referido game como o primeiro capítulo dessa história tão grandiosa.

Desse modo, em 1996, SoulEdge (que também ficou conhecido como SoulBlade em alguns países), estreou no mundo dos games trazendo combates com gráficos poligonais e uma jogabilidade que, de certo modo, misturava elementos dos games Weapon Lord e Samurai Shodown.

Foi nesse game que alguns dos guerreiros mais icônicos da franquia se apresentaram para o mundo. E claro, foi nesse título que a busca pela espada mais poderosa “Soul Edge/Blade” começou. De qualquer modo, essa também foi a última vez que os fãs da franquia ouviram falar do nome “Edge/Blade”.

SoulCalibur

No ano de 1998, apesar de ser o segundo game da série Soul, SoulCalibur deu início à aventura que perdura até os dias de hoje. Aliás, apesar da mudança nos nomes, a história teve início no ponto em que o game anterior parou, ou seja, com Siegfried (um dos heróis mais icônicos), sendo transformado em Nightmare (um demônio que representa toda a maldade da espada).

Mesmo assim, o impacto de SoulCalibur foi grande, especialmente nos arcades. Com seus belos gráficos (para a época) e seus combates extremamente interessantes e, até mesmo, bastante estratégicos, o game ofereceu uma nova leva de personagens e uma mobilidade ainda maior. Com isso, a jogabilidade ganhou muitos pontos e o game conseguiu conquistar uma legião de fãs. Nascia então, a lendária série SoulCalibur.

SoulCalibur II

Cinco anos após a estreia de SoulCalibur, a Namco resolveu oferecer aos jogadores mais uma prova da grandiosidade da série. Foi assim que nasceu SoulCalibur II, um game que aproveitava ao máximo o potencial dos novos consoles (PS2, Game Cube, Xbox) e oferecia aos jogadores uma experiência de luta sem igual, além da continuidade de uma história excelente.

Na trama, os jogadores passaram a conhecer uma nova espada, explicando o nome da nova série. Veja bem, a espada “do mal” era a Soul Edge e a espada “do bem” a Soul Calibur. Assim, os lutadores começaram a se enfrentar para assumir o controle dessas armas míticas. Novamente, Siegfried cumpre um papel muito relevante na história, já que ele e sua versão demoníaca (Nightmare) representam os dois lados de um embate grandioso.

Em relação ao gameplay, SoulCalibur II também trouxe novas melhorias, otimizando o sistema de esquivas e oferecendo aos jogadores novos personagens. Aliás, foi nesse game que as “participações especiais” começaram a acontecer (Link, no Game Cube, Heihachi, no PS2 e Spawn, no Xbox).

SoulCalibur III

Em 2005, SoulCalibur III chegou para presentear os fãs do PS2 de forma exclusiva. Nesse título, a história das duas espadas (Soul Calibur e Soul Edge) é apresentada de uma forma mais detalhada e cada personagem tem seu motivo para procurar pelo poder dessas armas. Com diversos modos de jogo, SoulCalibur III promoveu combates incríveis e um sistema de criação de personagens (para poder encarar uma aventura grandiosa no modo Chronicles of the Sword).

Nesse título, a jogabilidade não teve grandes alterações em relação ao seu antecessor, mas os jogadores puderam contar com novos personagens e, muitos deles, são personagens secretos que só podem ser desbloqueados após a realização de algumas tarefas especiais. De qualquer modo, esse é um dos grandes jogos da franquia.

SoulCalibur IV

Três anos após a quarta parte da série Soul, SoulCalibur IV representou mais um “salto” para a geração seguinte de games (PS3 e Xbox 360). Como não poderia deixar de ser, nessa aventura, os gráficos ganharam uma qualidade ainda maior e a experiência do jogo, como um todo, se mostrou incrível.

Contando com diversos personagens icônicos e com a presença de lendas como Darth Vader (no PS3) e Mestre Yoda (no Xbox 360), os combates ganharam grande emoção. Além do mais, a adição de equipamentos para alterar certas habilidades dos lutadores conferiu ao game alguns elementos de RPG bem interessantes. Ademais, o sistema de criação de personagens também foi otimizado, garantindo alto nível de customização para os personagens criados e para os lutadores disponíveis.

SoulCalibur V

Apesar do grande sucesso de SoulCalibur IV, sua sequência, SoulCalibur V lançada em 2012, também para o PS3 e para o Xbox 360, foi considerada por muitos como a versão definitiva. Isto é, o ponto mais alto dessa série. E, na realidade, essa afirmação é bem plausível, já que o game tem um visual incrível e a história, desviando um pouco o foco do herói/vilão Siegfried, consegue dar aos jogadores novos motivos para se envolver.

No game, o protagonista é Patroklos, filho de Sophitia, que é o portador da Soul Calibur e, 17 anos após os eventos do game anterior, embarca em uma jornada grandiosa. Com muitos personagens, e a presença de Ezio Auditore da Firenze (do game Assassin’s Creed), o game promove mais uma série de combates alucinantes e momentos épicos.

SoulCalibur VI

Com previsão para lançamento em 18 de outubro, SoulCalibur VI, já deu mostras (em muitos trailers) de que, pelo menos, o seu visual estará incrível. Como o primeiro game da série lançado para a nova geração de consoles, o game se posiciona como um título de comemoração pelos 20 anos da franquia (sem contar SoulEdge).

Ao que tudo indica, a jogabilidade ganhará alguns elementos interessantes, com novos recursos para defesas e contragolpes. Aliás, infelizmente, de acordo com o relato de Motohiro Okubo, produtor da franquia, se o game não for um sucesso comercial, essa poderá ser a última vez que ouviremos falar dessa lenda do mundo dos games. Mesmo assim, tudo indica que teremos um game grandioso!

SoulCalibur: Uma grande franquia!

Para encerrar, cabe lembrar que o nome SoulCalibur é muito maior do que os títulos da série principal. Isto é, ao longo dos anos, alguns games considerados “spinoffs” foram lançados e alguns foram bem sucedidos, enquanto outros representaram grandes fracassos comerciais (como é o caso do game SoulCalibur Legends, que registrou os piores números da história da série).

Seja como for, quando falamos em SoulCalibur, entramos em um campo onde apenas algumas lendas podem pisar. Afinal, apesar de os muitos jogos de luta lendários serem grandiosos a seu modo, SoulCalibur é um título singular dentro do gênero, oferecendo combates magníficos e uma história que, até hoje, desperta muita curiosidade.

Por fim, resta-nos esperar para ver o que o novo título reserva para nós. Enfim, SoulCalibur é um nome que deve ser guardado com muito carinho nas memórias e corações dos fãs. Então, vamos relembrar um pouco mais? Deixe as suas boas memórias nos comentários, fale sobre os seus personagens e games favoritos da série… (Particularmente, conheço alguém que costumava dilacerar os inimigos com o Voldo, em SoulCalibur III). Até a próxima!


some text