Resident Evil 3: uma horda de zumbis e o icônico Nemesis

Em 2019, os fãs da franquia Resident Evil receberam um grande presente: Resident Evil 2 Remake. Devido à qualidade dessa nova versão do clássico game da Capcom, os fãs começaram a sonhar com outro grande marco na história da franquia. Pois é! Resident Evil 3: Nemesis… e claro, os motivos para esse pedido não são difíceis de imaginar.

Pensando nesse sonho que, de acordo com alguns rumores, pode vir a ser realizado, decidi fazer um flashback para trazer à tona as memórias das nossas batalhas contra o vilão que não parava de repetir “S.T.A.R.S.”. Então, se você é fã de Resident Evil e adora o terceiro título dessa franquia, não deixe de acompanhar, pois este post está recheado de lembranças relacionadas aos zumbis, a luta contra eles e aos muitos sustos que levamos…

Resident Evil 3: Nemesis

Em 1996, a franquia Resident Evil fez a sua estreia. Graças ao grande sucesso do primeiro game, o gênero survival horror tornou-se extremamente popular. Aliás, foi nessa época que diversos clássicos do gênero foram lançados. A criação de Shinji Mikami foi a responsável por levar os jogadores para um mundo infestado por zumbis famintos.

Resident Evil 2 surgiu em 1998 e tratou de apresentar uma aventura ainda mais elaborada. Esse game foi um grande marco na história da franquia. Não à toa, a versão remake foi feita exatamente por reconhecer o apelo que esse game possuía.

Após dois grandes clássicos, a Capcom resolveu dar vida ao terceiro game. Assim, em 1999, Resident Evil 3: Nemesis nasceu. E sim, o game rapidamente chamou a atenção dos jogadores, tornando-se um dos favoritos dos fãs até hoje.

Com a protagonista do primeiro game em uma versão “reciclada” e um antagonista poderoso e assustador (e chato), essa aventura conseguiu deixar os jogadores presos do início ao fim. E mais, o jogo também garantiu muitos sustos. Afinal, quem não se lembra de estar caminhando tranquilamente por alguns corredores e ter a surpresa de se deparar com Nemesis, quebrando as janelas de uma hora para outra? Ouvir o vilão repetir “S.T.A.R.S.” dava até um frio na barriga.

O enredo de Resident Evil 3

Como Resident Evil é uma franquia com uma história muito bem elaborada, os enredos dos jogos acontecem em uma linha cronológica bem definida. Muitas vezes os acontecimentos dos jogos são paralelos uns aos outros. No caso de Resident Evil 3, a história se desenrola em duas partes, a primeira 24 horas antes de Resident Evil 2 e a segunda, 24 horas depois.

Toda a história gira em torno da heroína Jill Valentine, que tenta fugir de Raccoon City de qualquer jeito. Apesar de Jill ser o centro das atenções, os mercenários da Umbrella (Carlos, Mikhail e Nikolai) cumprem um papel muito importante na trama. Carlos, um dos mercenários, chega a se tornar um personagem jogável na transição entre a primeira e a segunda parte do jogo.

Para completar, Nemesis surgia vez ou outra para assombrar os jogadores. Esse zumbi especial era, na verdade, uma arma biológica criada pela Umbrella com o objetivo de eliminar os membros da equipe “S.T.A.R.S”, que eram as únicas testemunhas dos experimentos sombrios da empresa. Isto é, quando Nemesis ficava repetindo sem parar a sigla do time de elite, ele estava apenas reafirmando seu objetivo.

Resumindo, Resident Evil 3: Nemesis oferecia uma cidade completamente tomada por zumbis e forçava os jogadores a enfrentarem perigos inimagináveis para chegar até o local em que um helicóptero surgiria para resgatar os sobreviventes, ou seja, o game se concentrava em uma fuga eletrizante de um local cheio de criaturas mortíferas.

As memórias do gameplay de Resident Evil 3

Bem, em relação à jogabilidade, Resident Evil 3: Nemesis tratou de seguir a fórmula de sucesso da franquia, fazendo apenas alguns ajustes mínimos. Os gráficos foram melhorados, mas, em relação a Resident Evil 2, não houve muita diferença.

De qualquer modo, Jill possuía novos movimentos, como um giro de 180 graus e esquivas (armas essenciais nas lutas contra o Nemesis). Como sempre, o jogo também estava recheado de puzzles que exigiam que os jogadores, mesmo com a pressão psicológica da luta pela sobrevivência, parassem para pensar um pouco mais.

Apesar dos muitos zumbis e desafios do jogo, era nos combates contra o poderoso Nemesis que os desafios ficavam interessantes. A maldita criatura tinha o costume de surgir de vez em quando para nos dar dores de cabeça. Em alguns casos, lutar contra o monstro era obrigatório, em outros, a fuga era uma opção (muito atrativa).

Nemesis era mais rápido, mais forte e mais feio. Para completar, os lunáticos desenvolvedores do game resolveram dar a ele um “pequeno” lançador de foguetes (esse povo tem cada ideia). No fim, o confronto contra o monstro era inevitável, mas era nesses combates que o jogo brilhava.

O sucesso e os bônus de Resident Evil 3

Não é preciso dizer que Resident Evil 3: Nemesis foi um grande sucesso comercial, não é mesmo? Além disso, o game foi aclamado pela crítica, que considerou essa aventura a melhor entre todas as que foram lançadas até aquele momento. Depois, o jogo recebeu ports para o Dreamcast, GameCube e PC Windows, mas esses projetos foram criticados por terem um preço alto e não apresentarem melhorias.

Cabe lembrar também que, como já é costume da franquia, Resident Evil 3: Nemesis apresentava um modo de jogo extra. Isso mesmo! Assim que o game era finalizado, o “minijogo” The Mercenaries: Operation Mad Jackal era liberado. Nessa aventura era possível escolher um dos mercenários da Umbrella e experimentar um missão desafiadora com recursos escassos e um limite de tempo.

E agora temos que aguardar por um Resident Evil 3 Remake

Sem sombra de dúvidas, Resident Evil 3: Nemesis foi um dos grandes títulos da franquia Resident Evil e um marco na história dos games. Esse game eletrizante ajudou a consolidar o gênero survival horror e a gerar outros produtos, como as sequências, jogos de tiro, filmes, etc.

Quando olhamos para trás e relembramos as muitas horas dedicadas aos combates contra o maldito Nemesis, chegamos à conclusão de que um remake seria mais do que justo. Por ora, teremos que aguardar a Capcom e nos contentar com nossas lembranças.

Portanto, espero que este post tenha lhe ajudado a relembrar esse clássico que embalou muitas horas de emoção em noites escuras. Resident Evil 3: Nemesis foi uma aventura épica e todas as honras dadas ao jogo são mais do que merecidas. Por fim, peço que não deixe de compartilhar o post e comentar sobre as suas lembranças com esse grande jogo e seus pesadelos com o Nemesis e seu lançador de foguetes. Até a próxima.


some text