Jogos Metroidvania? 10 Exemplos que explicam esse subgênero magnífico!

Nos últimos tempos, com a ascensão dos games indie, a quantidade de jogos classificados como Metroidvania começou a crescer de forma surreal. Esses games conseguem levar o jogador para aventuras variadas e, mesmo assim, trazem uma sensação de nostalgia sem igual. Mas, por quê? Ou melhor, o que é esse tal de subgênero Metroidvania?

Para responder a essa pergunta, a GamesMAX resolveu criar uma pequena lista com dez exemplos que explicam perfeitamente o que são esses jogos Metroidvania. Sendo assim, não deixe de acompanhar até o fim, pois, se você for um fã dos games Metroid e Castlevania, encontrará aqui um nicho que, sem dúvidas, irá conquistar o seu coração gamer… Então, vamos embarcar nessas aventuras?

O que é esse tal de Metroidvania?

Bem, o termo Metroidvania é uma combinação dos nomes das séries Metroid e Castlevania. Com isso, já possível ter ideia do que ele quer dizer. Isto é, o subgênero Metroidvania é alocado dentro do gênero ação/aventura, mas suas características se resumem à semelhança com as estruturas e premissas dos dois clássicos citados.

De acordo com os especialistas, esse termo teve origem com o lendário Castlevania: Symphony of the Night, que acabou definindo um padrão de jogo, revivendo e consolidando algumas estruturas que o game Metroid havia ajudado a criar. Desse modo, podemos dizer que o subgênero Metroidvania foi criado para abarcar todos os jogos que se encaixam dentro dos conceitos e mecânicas dessas duas séries que marcaram época na história dos games.

E não, isso não é uma novidade. Esse subgênero já existe há décadas. Contudo, por conta dos muitos jogos indie que vêm surgindo, e seguindo esses padrões, o termo Metroidvania voltou a ser extremamente popular. Aliás, é provável que o subgênero esteja vivendo o seu auge, já que não faltam opções incríveis para embalar aventuras tão emocionantes quanto nostálgicas. E claro, nada melhor do que explicar algo, com belos exemplos, não é mesmo? Assim sendo, comece a anotar aí, pois agora você terá uma sequência insana…

Bloodstained: Curse of the Moon

Bloodstained: Curse of the Moon dá início à nossa lista por remeter aos primeiros jogos da série Castlevania de uma forma surpreendente. Assumindo o controle de um caçador de demônios (chamado Zangetsu), que possui muita sede de vingança, os jogadores embarcam em uma aventura cheia de perigos a fim de derrotar um poderoso demônio que está escondido em um castelo sombrio.

Com espadas e chicotes, Zangestu luta contra hordas de inimigos em combates eletrizantes. No entanto, ao longo da aventura o herói encontra outros personagens, que também podem entrar nas batalhas, alterando o gameplay de forma considerável. Enfim, temos aqui um game que resume perfeitamente o conceito de Metroidvania.

The Messenger

Altamente recomendado e muito premiado, o game The Messenger é um Metroidvania que aborda a interessante temática do mundo ninja. Nesse game, os jogadores conseguem se divertir ao máximo enquanto acompanham a história de um ninja que enfrenta um mundo amaldiçoado para poder entregar um pergaminho que irá salvar todo o seu clã.

Com cenários muito bonitos e alguns personagens marcantes, o game é marcado por muita ação, viagens no tempo, uma trama interessante e uma trilha sonora original que dispensa comentários. Além disso, The Messenger é uma prova de que os jogos Metroidvania não são meras cópias, apenas games que seguem uma “linha de raciocínio” que já deu provas de ser eficiente.

The Vagrant

Se apresentando de uma forma um pouco mais requintada do que a maioria dos jogos desta lista, The Vagrant oferece aos jogadores uma experiência visual belíssima, com personagens e cenários completamente pintados à mão. Além disso, a história da heroína Vivian the Vagrant é muito emocionante.

Com sistemas de jogo muito interessantes, a aventura da mercenária, que tenta reunir sua família novamente, está cheia de grandes desafios e inimigos formidáveis. Ademais, os combates são dotados de muita ação, com combos grandiosos e muita magia.

Salt and Sanctuary

Com reviews altamente positivos Salt and Sanctuary se apresenta como mais uma opção sombria a ser explorada dentro do subgênero Metroidvania. No game, os jogadores acompanham a história de um marinheiro que acabou naufragando em uma ilha misteriosa e completamente tomada pela neblina e, claro, por criaturas malignas.

O game conta com uma estilo muito original em suas ilustrações e consegue garantir muitas horas de gameplay com seus desafios infindáveis e sua grande quantidade de armas. Além do mais, esse game conta com chefões que fazem o jogador “tremer”.

Iconoclasts

Chegando à metade da nossa lista, caminhamos um pouco para o lado Metroid do subgênero Metroidvania. Iconoclasts é uma aventura futurista, com gráficos muito bem desenhados, desafios grandiosos e uma história tocante. Nessa aventura, os jogadores assumem o controle da mecânica Robin e acompanham uma jornada que tem o objetivo de “consertar um mundo quebrado”.

O visual do game é sensacional, o que consegue contribuir para aumentar o apelo emocional da trama. Entretanto, é bom ressaltar que os combates do game são cheios de adrenalina, os mapas são complexos e os enigmas são muitos. Em suma, é mais um excelente game que explica o subgênero Metroidvania.

Owlboy

Iniciando a segunda metade dessa nossa lista de exemplos do subgênero Metroidvania, encontramos o belíssimo Owlboy. Talvez, esse game seja o mais “leve” da lista, mas suas construções são capazes de incitar muitas emoções nostálgicas. E mais, a história do “garoto coruja” mudo é repleta de desafios e momentos sensacionais.

Com um visual que esbanja muito talento e domínio na técnica de pixel art, o game consegue promover uma aventura cheia de ação e grandes combates. Sobretudo contra os poderosos chefões que surgem pelo caminho. Além disso, o herói pode recrutar seus amigos como ajudantes que possuem habilidades e histórias distintas.

Dex

De volta para o futuro, Dex é um dos games mais “sérios” dessa lista. Isso acontece, pois os cenários são desenhados de uma forma sóbria, oferecendo aos jogadores um mundo cyberpunk cheio de mistérios. Podendo definir como desejam viver as histórias, os jogadores embarcam em uma trama envolvente, contada de uma forma madura e intrigante.

Em termos de gameplay, o game também surpreende com suas mecânicas inovadoras e seus complexos sistemas de desenvolvimento de personagens e habilidades. De modo geral, Dex pode ser aquele que melhor representa o lado Metroid do termo Metroidvania.

Guacamelee!

Falemos agora de uma espécie de “estranho no ninho”. Afinal, Guacamelee! é um Metroidvania que foge da curva. Sim, as estruturas do game permitem que o game seja incluído nesse subgênero. Sim, a aventura é incrível. Todavia, o game é um espetáculo de cores que coloca a cultura mexicana no centro das atenções.

Assumindo o controle de um “luchador”, os jogadores embarcam em uma aventura cheia de inimigos e efeitos visuais incríveis. Com golpes poderosos, o herói abre o seu caminho em uma trama muito bem desenvolvida e contada com elementos bem-humorados. Aliás, cabe ressaltar que Guacamelee! 2 consegue elevar o nível da aventura de uma forma substancial, ou seja, temos aqui dois jogos que merecem muita atenção.

Dead Cells

Chegando ao fim da nossa lista, Dead Cells surge como um dos nomes mais interessantes e destacados, lançados recentemente. Contendo todos os elementos que definem um Metroidvania, o game surpreende por sua ação incessante e por suas dungeons intricadas e desafiadoras.

Podendo utilizar diversas armas e golpes especiais, a luta contra os inimigos malignos que marcam o jogo se torna extremamente empolgante, embora o game seja marcado por uma progressão não-linear. Isto é, os jogadores decidem como desejam viver suas aventuras. Por fim, fica um alerta: o game é chamado de Dark Souls 2D por conta da sua grande dificuldade.

Timespinner

Para encerrar com chave de ouro, temos o grandioso Timespinner. Essa aventura é, muito provavelmente, aquela que mais remete ao lendário Castlevania: Symphony of the Night. Porém, essa semelhança fica apenas no visual, já que a história da heroína Lunais, que teve a família assassinada diante dela, é marcada por muitas viagens no tempo.

Com personagens carismáticos, interfaces nostálgicas, chefões formidáveis e a presença dos “familiares” (quem jogou Castlevania: Symphony os the Night conhece muito bem), o game é uma aventura imperdível e, de certa forma, o exemplo mais completo para explicar o que é um game Metroidvania. Certamente, esse é um game que merece todas as atenções.

Um mundo de jogos Metroidvania

Como ressaltamos ao longo do post, o subgênero Metroidvania ficou muito popular nos últimos tempos, por conta da ascensão dos jogos indie. Não à toa, essa nossa lista deixou de incluir alguns grandes games como Chasm, Tower Hunter: Erza’s Trial, Death’s Gambit, Sundered, o brasileiro Metamorfose S e outros títulos de grande qualidade dentro desse nicho.

Para encerrar, esperamos que agora você tenha noção de que esse subgênero chamado Metroidvania abarca uma série de grandes games e consegue promover uma viagem nostálgica para uma era que, com muita certeza, marcou a vida de muitos gamers. Assim, temos a oportunidade de viver grandes aventuras dentro de um padrão que aprendemos a amar. E não se esqueça de deixar suas impressões nos comentários. Se tiver alguma indicação de jogo Metroidvania, avise a GamesMAX nos comentários, por favor… Até a próxima!


some text