Devil May Cry: Relembre os jogos da franquia

À medida que as novas cenas do Devil May Cry 5 vão chegando até os jogadores, a ansiedade vai aumentando e alcançando níveis quase incontroláveis. Afinal, temos aqui a promessa da continuação de uma história que, em 2001, fez sua estreia no mundo dos games e, desde 2008, não presenteia os jogadores com um novo título (sem contar o “spin-off” de 2013).

Enquanto o quinto título da série Devil May Cry não chega (tudo indica que sairá em 2019), resolvemos criar uma espécie de retrospectiva dessa franquia tão lendária. Com isso, poderemos reviver alguns belos momentos e manter as memórias afiadas para receber o novo título de braços abertos. Portanto, não deixe de conferir, pois, assim como o game, este post está cheio de emoções!

Devil May Cry

Para quem não sabe, Devil May Cry surgiu para ser uma sequência da série Resident Evil. No entanto, quando o projeto começou a ser desenvolvido, ficou evidente que as construções eram muito diferentes da ideia básica do clássico survival horror. Foi aí que surgiu outra franquia lendária.

De modo geral, Devil May Cry é um game do gênero Hack n’ Slash, que acabou trazendo para o mundo dos games um conceito de combates eletrizantes e cheios de estilo. Assim, com sua jogabilidade inovadora, o game arrebatou o coração dos fãs e, claro, a história da aventura serviu para deixar todos ainda mais envolvidos. É nesse contexto (e sempre com trilhas sonoras incríveis) que os jogadores embarcaram em uma jornada inesquecível.

Em 2001, no Playstation 2, Devil May Cry deu as caras pela primeira vez. Rapidamente, Dante, um caçador de demônios que, a princípio, procurava por formas de vingar sua mãe e seu irmão, começa a apresentar sua personalidade sarcástica e destrutiva.

Ao longo da história desse primeiro título, os jogadores são apresentados a personagens icônicos da série, como Trish, um demônio criado por Mundus (o antagonista do jogo) e Vergil, o irmão gêmeo de Dante (que depois daria as caras no terceiro jogo).

Além disso, o game se passa em diversos lugares sombrios e oferece hordas de inimigos, puzzles e grandes desafios para os jogadores. Não à toa, o título fez tanto sucesso e, obviamente, uma continuação foi planejada.

Devil May Cry 2

Quando Devil May Cry 2 surgiu, as expectativas, que estavam em um nível bem alto, acabaram sendo um pouco frustradas. Apesar de algumas novidades na jogabilidade, o segundo título da série não conseguiu superar seu antecessor e sua história também não foi muito empolgante. Aliás, foi nesse game que ficou bastante claro que a linha cronológica da franquia seria uma bagunça, já que a história se passa após os acontecimentos de Devil May Cry 4. Pois é!

De qualquer modo, a aventura também não é nada dispensável e uma nova personagem importante é introduzida no rol de grandes ícones da série. Lucia é uma lutadora habilidosa que pode se transformar em uma “harpia”. Com seus poderes, e junto com Dante, ela protagoniza essa segunda aventura.

A trama não chega a ser muito diferente do habitual. Como plano de fundo, temos uma cidade fictícia chamada Vi de Marli e, como antagonista, temos um empresário maligno que tenta coletar alguns itens especiais para invocar o demônio Argosax e, assim, obter um poder demoníaco.

Como não poderia deixar de ser, Dante e Lucia unem forças para superar todos os inimigos e desafios que surgem em seu caminho. Novamente, o jogador é agraciado com combates eletrizantes e uma trilha sonora excelente.

Devil May Cry 3: Dante’s Awakening

Em seu terceiro título, a série conseguiu retomar o seu status como o maior nome entre os games de Hack n’ Slash. Retomando a jogabilidade desafiadora e, até mesmo, recebendo críticas pela dificuldade, o game foi um enorme sucesso e conseguiu promover a luta entre Dante e seu irmão Vergil de uma forma brilhante.

Novamente, a linha cronológica se mostra confusa, já que essa aventura se passa 10 anos antes do primeiro título. Isto é, Dante está mais novo. Além disso, o game marcou a estreia de um sistema de combate que oferece aos jogadores o poder de escolher entre variados estilos de luta, alterando o gameplay de forma considerável.

A história do terceiro título se passa quase que inteiramente dentro de uma torre encantada chamada Temen-ni-gru e as batalhas entre os dois irmãos demoníacos são o ponto alto de todo o game. No game, temos a estreia de uma nova personagem, Lady. A garota faz uso de uma arma altamente versátil e ajuda Dante a enfrentar os desafios que surgem pelo caminho.

Em 2006, Devil May Cry 3: Special Edition surgiu como uma versão otimizada do game, ajustando os níveis de dificuldade e permitindo que o jogador pudesse viver toda a aventura no papel do antagonista, Vergil. Enfim, essa é mais uma aventura imperdível dessa franquia épica.

Devil May Cry 4

Em 2008, o quarto jogo da franquia foi lançado. Essa aventura, dentro da linha cronológica do game, é posicionada logo após os eventos do primeiro título da série. Ademais, o game marca a estreia de um novo e importante personagem: Nero.

O jovem, parecido com Dante até mesmo nos golpes, acaba entrando em uma jornada de vingança, promovendo uma inversão de papéis, já que o alvo da vingança é o grande protagonista da franquia. No entanto, no decorrer da aventura, os jogadores também assumem o papel de Dante e vão alternando com a jornada de Nero, até que as tramas se entrelaçam e tudo se transforma em um complô ainda maior.

No game, os jogadores encontram combates eletrizantes e grandes inimigos (que enchem a tela com seus efeitos especiais). Com Nero, a cada novo inimigo derrotado, é possível adicionar novas habilidades ao braço demoníaco portado por ele. Dante, por sua vez, retoma o sistema de estilos de luta com uma grande variedade de armas à disposição.

Por fim, a história acaba revelando novos detalhes da trama e da origem de Dante. Apesar disso, o game também deixa muitas “pontas soltas”, como já é comum na franquia. De qualquer forma, Nero e Dante protagonizam batalhas incríveis em sua jornada para derrotar Agnus e Sanctus, os dois grandes antagonistas do game.

Devil May Cry: HD Collection

Conforme ressaltamos em nossa introdução, desde 2008 a história de Devil May Cry não recebe uma continuação. Mesmo assim, em 2012, a Capcom resolveu presentear os jogadores com uma coleção muito especial.

No pacote, os jogadores encontravam os três primeiros jogos da série em uma versão remasterizada e com gráficos em alta definição. Enfim, a coleção não promoveu qualquer alteração na história ou nas mecânicas do jogo. Portanto, essa é apenas uma menção honrosa.

DmC: Devil May Cry

Em 2013, DmC: Devil May Cry fez uma estreia controversa no mundo dos games. O grande problema do game é que, apesar de ser o quinto título, a história não funcionou como uma continuação, mas sim, como um novo recomeço, apresentando um Dante completamente diferente.

Como não poderia ser diferente, a recepção ao jogo foi bastante negativa, especialmente por conta das alterações drásticas que foram feitas no icônico protagonista da série. A ideia da Capcom era revitalizar o jogo a fim de oferecer uma perspectiva mais “ocidental”.

Aliás, cabe ressaltar que o game, na verdade, não é um “reboot” da série. De acordo com as informações, temos aqui uma espécie de “spin-off”, ou seja, uma aventura que se passa em um mundo paralelo e que não faz parte da linha cronológica oficial.

Mesmo assim, o game oferece uma aventura cheia de ação, com efeitos visuais muito interessantes e uma trilha sonora, como sempre, arrasadora. Além disso, a história do game apresenta um capítulo alternativo para o combate entre Dante e Vergil.

Devil May Cry 5

Finalmente chegamos ao principal motivador de toda essa nossa história: Devil May Cry 5. Com previsão para lançamento em 2019, a Capcom já vem criando um grande hype ao liberar diversos vídeos, que apresentam gráficos de extrema qualidade.

Até onde se sabe, a história irá se posicionar como a sequência dos eventos ocorridos em Devil May Cry 2, ou seja, realmente teremos uma continuação na linha cronológica bagunçada que marca essa franquia.

Outra grande promessa, até mesmo por conta da linha do tempo, é que o game estará recheado de personagens icônicos. Aliás, embora nada tenha sido confirmado, os boatos indicam que Vergil também vai aparecer para abrilhantar ainda mais o espetáculo. Portanto, é bom ficarmos preparados, pois a aventura será arrasadora.

Devil May Cry: a Lenda

Conforme pôde perceber, a franquia Devil May Cry é recheada de grande momentos. Apesar de alguns games terem sido mais interessantes do que outros, a qualidade de toda a série, de modo geral, é excelente. Não sem motivos, a expectativa para a continuação dessa história continua aumentando.

Para completar, é bom ressaltar que, além dos games, Devil May Cry marca presença nos mangás e em outras mídias. Contudo, o anime Devil May Cry: The Animated Series merece ser mencionado, já que traz uma história muito interessante, introduzindo novos personagens, que contracenam com velhos conhecidos. Isto é, os fãs da série não podem perder!

Por fim, tudo o que podemos dizer é que a nossa intenção com este post foi fazer um bela retrospectiva da história de uma franquia que já tem seu lugar guardado nas memórias e corações de muitos jogadores. Enquanto o novo título não é lançado, o que nos resta é relembrar os grandes momentos de Devil May Cry… Sendo assim, não deixe de “jogar” nos comentários as suas boas memórias com a série, suas frustrações e, sem dúvidas, as suas expectativas para Devil May Cry 5.

Yohan Bravo

some text