10 Jogos Inesquecíveis do PS1

Nostalgia é uma palavra que muitos gamers conhecem intimamente. Afinal, atualmente, temos aventuras que, acredite ou não, começaram em épocas remotas. Assim, no post de hoje resolvemos fazer um “revival” das belas memórias de uma era que todo gamer guarda com muito carinho: A era do revolucionário PS1!

Pode não ser possível afirmar com toda a precisão do mundo, mas, muito provavelmente, o console lendário, que vendeu mais de 100 milhões de unidades em todo o mundo, é aquele que produziu mais clássicos e franquias míticas. Não à toa, hoje trouxemos 10 provas irrefutáveis de que o PS1 produziu jogos inesquecíveis. Portanto, prepare-se para as fortes emoções, pois muitas “pedradas” vem por aí…

Silent Hill

Não é pouco comum ver pessoas postando fotos em lugares cheios de neblina com a legenda ou hashtag “Silent Hill”. Para quem não sabe, o primeiro jogo dessa lendária franquia, que já chegou a dar as caras no cinema, foi lançado em 1999 (pela Konami) e surpreendeu pelo clima pesado que causava um enorme terror psicológico.

Quem não se lembra de caminhar pelas ruas de Silent Hill sem enxergar nada (por conta da neblina)? Em Silent Hill o gênero survival horror, que também cresceu graças ao PS1, alcançou o seu ápice. Enfim, a história de Harry Mason, à procura da sua filha, Cheryl, é nossa primeira prova da grandeza dos clássicos do PS1.

Driver

Também no ano de 1999, a série Driver surgiu para arrebatar os fãs e definir alguns padrões. Assumindo o controle de um policial disfarçado que, fazendo uso das suas habilidades como motorista, tentava conquistar a confiança dos líderes de um sindicato criminoso, os jogadores embarcavam em missões complexas e surpreendentes para a época.

E claro, como esquecer da “prova de direção” feita em um estacionamento? Naqueles pequenos metros pixelados, diversos gamers tiveram seu primeiro contato com um dos games mais inesquecíveis da história do PS1. Depois do estacionamento, o enredo, digno de uma lenda, era revelado.

Castlevania: Symphony of The Night

Ok, agora estamos falando de uma franquia que não teve início no PS1. Aliás, Symphony of The Night, lançado pela Konami em 1997, foi o décimo terceiro título da série Castlevania. No entanto, nenhum dos outros games, nem mesmo os novos, conseguiram superar essa incrível jornada do vampiro Alucard.

Com uma mecânica de jogo superinteressante e inúmeras opções, em termos de habilidades e armas, Symphony of The Night elevou o padrão da série e acabou se tornando um parâmetro para todos os outros Castlevania que vieram na sequência. Ademais, como esquecer da odisseia dos jogadores na inexorável busca para completar os dois mapas do game e obter os famosos 200.6%? Simplesmente épico!

Chrono Cross

Desenvolvido pela Squaresoft (hoje Square Enix), Chrono Cross carregava o peso de ser a “sequência” de uma lenda chamada Chrono Trigger. No entanto, quando o game foi lançado (1999), apesar das inúmeras menções ao seu “antecessor”, o que se viu foi o nascimento de outro clássico.

No game, os jogadores acompanham uma história rica em detalhes e com um interessante sistema de viagens para dimensões paralelas. Aliás, muitas histórias do game continuam sem uma resolução até hoje, o que fez o jogo alcançar o status de lenda e, claro, ajudou a alimentar as esperanças de que a história teria uma continuação. Até hoje, isso não aconteceu.

Legacy of Kain: Soul Reaver

O ano de 1999 realmente foi memorável para os amantes do PS1, já que o lendário Legacy of Kain: Soul Reaver também foi lançado (pela Eidos Interactive) no referido ano. Como o segundo título de outra franquia que até hoje marca muitas memórias, Soul Reaver traz uma história sombria.

Assumindo o controle de Raziel, que foi traído (e desfigurado) por seu mestre, os jogadores embarcaram em incríveis aventuras, atravessando portais multidimensionais e sugando a alma de diversos inimigos a fim de consolidar uma terrível vingança.

Resident Evil

Quando falamos em PS1, é quase impossível deixar a franquia Resident Evil de lado. Nesse caso, iremos considerar os três primeiros jogos da série, já que essa trinca de clássicos ajudou a marcar uma época de muito terror. Começando em 1996, a série da Capcom apresentou os zumbis ao mundo em uma icônica cena na mansão abandonada.

Na sequência, o título de 1998 aprimorou diversas mecânicas que a série ajudou a consolidar, oferecendo aos jogadores a síntese do survival horror. Por fim, a sigla S.T.A.R.S., dita massivamente pelo antagonista, Nêmesis, foi imortalizada no terceiro game (lançado em 1999). Foi com esses três jogos inesquecíveis que a história de Resident Evil, que existe até hoje, começou a ser escrita.

Dino Crisis

Já que falamos em Resident Evil, torna-se uma obrigação citar o primeiro título da série Dino Crisis, lançado em 1999, pela Capcom. Afinal, o game foi criado pelo diretor de Resident Evil e, de forma geral, apresenta as mesmas características da lendária série, mas com uma simples diferença: os inimigos são dinossauros, tão famintos quanto os zumbis.

Por conta do enredo e das diversas opções, a história de Regina ganhou um lugar no coração dos fãs e, com seus três finais diferentes, pressionou os intelectos e nervos de muita gente. Sem dúvidas, apesar do excelente Dino Crisis 2, o primeiro título é, até hoje, a referência máxima da franquia.

Parasite Eve

Acompanhando a onda dos games de survival horror da época, a Squaresoft (atual Square Enix), resolveu lançar Parasite Eve, em 1998. Obviamente, a Square tratou de utilizar alguns recursos de RPG (sua especialidade). Com isso, o resultado foi um game único que marcou muitas memórias.

Com belos efeitos e recursos visuais, o game contava a história de Aya Brea, uma policial novata que acabou sendo carregada por um mistério no qual suas próprias (e estranhas) origens começaram a ser reveladas. Portanto, outra aventura grandiosa e à altura da nossa lista de games inesquecíveis do PS1.

Vagrant Story

No PS1, o reinado da série Final Fantasy é indiscutível. Entretanto, poucos games da Squaresoft foram tão incríveis quanto essa lenda. Aliás, Vagrant Story poderia ser colocado em uma outra lista com jogos incríveis que acabaram sendo “deixados de lado”. Lançado em 2000, o game acabou sendo ofuscado pelo lançamento do PS2.

Todavia, é importante prestar as devidas homenagens a esse game que contava com incríveis recursos, um sistema de batalha inovador e uma história digna de ser eternizada entre as melhores da era do PS1. Esse jogo é tão inesquecível, que mesmo sendo um “underrated”, tem uma legião de fãs que aguardam por uma continuação.

Final Fantasy VII

Agora, poderíamos fazer a mesma coisa que fizemos com Resident Evil e incluir todos os clássicos da série Final Fantasy (para PS1) em um único pacote. Contudo, apesar de todos os incríveis games que marcaram a história dessa franquia lendária, Final Fantasy VII é um marco na história dos games.

Com uma história complexa, personagens muito bem desenvolvidos e cenas incríveis, para a época (1997), o game redefiniu o termo “RPG Épico”. Prova disso é a promessa do “remake”, que vem por aí e já está mexendo com o coração de milhões de fãs em todo o mundo.

Para encerrar, ressaltamos que, por conta da infinidade de grandes clássicos do PS1, seria possível criar inúmeras listas, contendo lendas como The Legend of Dragoon, Final Fantasy Tactics, Syphon Filter, Fear Effect e muitos outros. Porém, como a intenção era reviver boas memórias, agora o dever de casa é seu… Lance as suas memórias aí nos comentários! Vamos falar sobre os jogos inesquecíveis do PS1.


some text

2 comments

  1. Guilherme Henrique 21 Outubro, 2018 at 12:13 Responder

    Muito bom este review! Estão de parabéns! Só uma observação: O nome do protagonista de Silent Hill é “Harry Mason” e não “Harvey Mason”.

Leave a reply